Daikoku

De Ooshin
Ir para: navegação, pesquisa
Daikoku.

Daikoku, também conhecido como Daikokuten, é uma divindade oriental. É um dos sete deuses da fortuna. É também conhecido por ser a divindade que representa a fortuna, abundância e prosperidade. É caracterizado geralmente por meio de um semblante sorridente e alegre, portando um martelo mágico e uma grande sacola de tesouros, e assentado sobre fardos de arroz. É conhecido ainda como a divindade da cozinha e o provedor da comida. Patrono dos artesãos, fazendeiros e trabalhadores dos moinhos, além dos homens de negócios, banqueiros e financistas.

Nos Ensinamentos de Meishu Sama, é apresentado como a divindade responsável pelo dinheiro, tesouros e riquezas; portanto, é confirmado por Meishu Sama a associação de Daikoku como a divindade da fortuna, abundância e riqueza.

Além de Ensinamentos em que Meishu Sama afirma expressamente que adquiriu diversas estátuas de Daikoku, há fotos que retrataram a presença de Daikoku no Altar usado por Meishu Sama em algumas oportunidades.

O martelo mágico[editar]

Pintura de Daikoku realizada por Ogata Korin.


O martelo mágico carregado por Daikoku é conhecido como Uchide no kozuchi. Segundo a cultura oriental, ele tem o poder de, quando golpeado, magicamente criar qualquer coisa que for desejada. Ainda, no Japão existem duas lendas sobre o martelo mágico de Daikoku. Uma diz que caem moedas quando Daikoku balança seu martelo. Outra diz que os desejos dos adeptos de Daikoku são realizados batendo-se um martelo de madeira simbólico por três vezes no chão e fazendo-se um desejo.







Referências nos Ensinamentos de Meishu Sama[editar]

MeishuSamaDaikoku.jpg


"Desde o final do ano passado, tenho feito cultos a Ebisu-Daikoku, que é venerado por muitas pessoas. A respeito dos detalhes, deixarei para outro dia; mas, quando se venera esta entidade, com certeza recebe-se dinheiro. Em relação à eliminação da doença, miséria e conflito..., no caso da eliminação da pobreza, Kannon utiliza-Se de Daikoku-Sama (...)

De acordo com a religião, há aquelas que reprimem as ambições materiais, mas, quando a matéria é utilizada para aspectos positivos, viver com prazer é algo muito bom. A Kannon desagrada que haja pobreza. Venerando Kannon e Daikoku-Sama, e colocando em prática a obra de Kannon, posso assegurar que, em absoluto, a pessoa passará por apuros por carecer de bens materiais. Além disso, as pessoas que desejam orar a Daikoku, tragam-no que eu o consagrarei."

(Relatos acerca de Daikoku-Sama, 4 de fevereiro de 1935)


"Kannon não pode manejar pessoalmente o dinheiro, os tesouros e as riquezas. Essa tarefa é atribuída a Daikoku-Sama. Quanto maior o seu tamanho, melhor."

(Palestra Complementar, data desconhecida)


"Comecei a cultuar Daikoku-Sama na época em que vivia em Omori; precisamente no período da depressão econômica, todos os meses as cifras estavam no vermelho. Meus bolsos estavam vazios e estava numa situação muito difícil. Mas certo funcionário de um banco trouxe-me uma imagem de Daikoku-Sama e perguntou-me se eu necessitava dele. Como senti que seria bom, aceitei e comecei a cultuá-lo. Na parte posterior da estátua, estava a inscrição: Era Bunkyu (1861 — 1864). Desde então, as cifras vermelhas desapareceram. Sabendo ser isso bom, comecei a colecionar diversos tipos de Daikoku. No grande Daikoku de Kaminogue, há um mistério. É uma peça que tem entre 400 a 500 anos. Eu o adquiri numa loja de antiguidades de Assabu. Quando pedi que me vendesse, o dono me respondeu que não era possível, que não me poderia ceder, porque ele o cultuava pessoalmente, mas, depois disso, ele teve um sonho em que Daikoku-Sama saiu sobre uma nuvem violeta; e, no último dia desse mesmo ano, ele trouxe o Daikoku para mim a bordo de um veículo. Sentindo a separação, ao despedir-se abraçou a imagem e chorou. Com certeza, nesse momento lhe entreguei 300 ienes. A partir desse momento, comecei a receber dinheiro em abundância. É bom cultuar Daikoku-Sama. Quanto maior for o seu tamanho, melhor será. (...)

Realmente, Daikoku-Sama atua positivamente e possui diversos mistérios. Seria bom que ele fosse cultuado nos lugares de tratamentos, para que muitos pacientes recebessem ajuda e houvesse ingresso de bastante dinheiro. Tratando-se de Daikoku-Sama, ao invés de explicações sobre sua história, basta entender que ele concede graças financeiras.

Ebisu-Sama e Daikoku-Sama podem ser colocados juntos; mas também pode ser só Daikoku Sama. O martelo de madeira que Daikoku-Sama segura significa riquezas da terra; no caso de Ebisu-Sama significa tesouros procedentes do mar."

(Palestras, 8 de março de 1948)


"Em relação a Ebisu-Sama, a diferença é que Daikoku-Sama segura um martelo. Através deste, comunica-se com a terra. Brandir o martelo significa gerar felicidade da terra; em outras palavras, gera os tesouros do mar e da montanha. Considero ser esse o verdadeiro significado de Ebisu e Daikoku."

(Palestras, 20 de maio de 1951)


“Daikoku-Sama empunha um martelo de madeira que cumpre a função de extrair os tesouros do solo. Agora, Ebisu-Sama está relacionado com os recursos do mar. Isto quer dizer que, na verdade, é preciso considerar ambos. Entretanto, de acordo com as circunstâncias, está bem ter somente Daikoku-Sama. Mas ter somente Ebisu-Sama não é correto. A razão é que o encarregado de receber as riquezas em ouro e prata é Daikoku-Sama. Por isso, nas notas e moedas, o que combina melhor é Daikoku-Sama."

(Palestras, 20 de janeiro de 1950)


"Pergunta: Qual é o significado do martelo de Daikoku-Sama e a bolsa e o saco de palha? Também o estado do saco de palha é muito variado. Qual é o correto?

Resposta: O martelo é pequeno, mas também significa o tesouro que sai da superfície da terra. Ebisu tem relação com os recursos do mar e Daikoku com os do continente. A bolsa contém diversas categorias de tesouros. O saco de palha é de arroz, portanto, o alimento principal. Existem vários, por exemplo: o que traz a joia de Cintamani no meio do saco de palha. Mas isso se deve aos autores da escultura. De acordo com o pensamento do criador, existe uma escultura cuja bolsa de palha é embrulhada com um pano; igualmente, há aquela que está brandindo um martelo; outra que tem o pé levantado, etc. Ainda há esculturas que portam um, dois ou três sacos de palha."

(Palestra Complementar, 27 de outubro de 1948)


"Pergunta: Existe o Daikoku-Sama que repousa sobre a folha de lótus, assim como o que se assenta sobre a palha de arroz. Qual é a diferença? Peço-Vos orientação.

Resposta: O que está sobre a folha de lótus é bom; mas há um excesso no tratamento. Como na Índia ele se localiza numa posição alta, não está mal, mas a bolsa de palha de arroz é adequada. Com ela temos a permissão de receber o benefício do alimento principal."

(Palestra Complementar, 21 de julho de 1949)


"Muitos cultuam Daikoku-Sama. Ao realizar cultos a ele, seu espírito se assenta e trabalha."

(Palestras, 15 de abril de 1953)


"Com frequência, os espíritos ingressam nas estátuas budistas que foram bem feitas. Nas mal feitas o espírito não se assenta; mesmo que se assente, acaba por sair Portanto, no caso de um Daikoku-Sama bem elaborado, os benefícios serão maiores."

(Palestras, 1º de maio de 1952)


"Devido ao fato de Kannon ser originariamente uma divindade búdica de elevado nível, purifica as pessoas, afugenta os espíritos do mal e nos concede a Salvação. Para conceder a salvação material com riquezas e tesouros como o ouro e a prata, o encarregado é Daikoku-Sama, ou seja, a ele é conferido o poder de reunir riquezas. De modo que, quando se cultua e ora a Daikoku-Sama diante de Kannon, assombrosamente, os bens vão se reunindo."

(Palestras, 20 de maio de 1951)


"Pergunta: Meishu-Sama, na vossa residência não se celebram cultos a Daikoku-Ten ou outras divindades diante da Imagem Divina; mas, nos lares em geral, onde é melhor colocá-lo e realizar cultos?

Resposta: À direita, olhando para a direção do "tokonoma” (recanto principal da sala ou quarto de uma casa japonesa). O da sede geral tem outro significado."

(Palestra Complementar, 3 de julho de 1949)


“Daikoku-Sama deve ser colocado na frente. É muito melhor se for colocado à direita e, de certa forma, perto da Imagem Divina. Esta é a forma verdadeira. Mas pode ser de acordo com as circunstâncias.”

(Palestra Complementar, 16 de março de 1949)


"O verdadeiro local de Daikoku-Sama é perto de Kannon-Sama". (Palestra Complementar, 1948)


"Pergunta: E no caso de Daikoku-Sama ficar em uma estante diferente, em cuja parte superior há uma prateleira com portas? Não pretendo colocar nada dentro...

Resposta: Não tem importância, porque no caso de Daikoku-Sama é diferente."

(Palestras, 8 de outubro de 1951)


"Pergunta: Por ocasião do culto matinal e vespertino diante do altar, não é necessário realizar outra oração à parte para Daikoku-Sama? Bastará saudá-lo inclinando levemente a cabeça? (...) Da mesma forma, as oferendas podem ser colocadas somente por ocasião do culto mensal?

Resposta: As oferendas poderão ser colocadas somente por ocasiões dos cultos mensais e, no dia a dia, basta que se faça uma saudação, inclinando a cabeça."

(Palestras, 25 de fevereiro de 1951)


"Pergunta: Solicito-Vos que me ensine como realizar o culto diante de Daikoku-Sama.

Resposta: Não há uma forma particular. Após ter realizado o culto a Deus Komyo Nyorai, faça de forma mais simples. Não há necessidade de entoar uma oração.

(Palestra Complementar, 17 de outubro de 1948)


Como Daikoku-Sama realiza a função da terra, bater três palmas."

(Data desconhecida)


Todos os trechos acima constam da publicação "A Administração Unificada dos Mundos Divino, Espiritual e Material e os Ofícios Religiosos", editada e publicada pela vertente Toho no Hikari.

DAIKOKU, O DEUS DA PROSPERIDADE

Todos os fiéis da nossa Igreja veneram Daikoku, o Deus da Prosperidade, e frequentemente me perguntam qual a relação Dele com Kannon. É uma pergunta bastante lógica uma vez que ate agora parecia não existir conexão alguma. Comecei a venerar Daikoku pelas seguintes razoes. O ano era 1933. Eu estava com dívidas já havia algum tempo e me sentia um pouco desanimado. Um funcionário de banco que às vezes me visitava tinha uma antiga imagem de Daikoku a qual me ofereceu de presente. Eu A aceitei com gratidão e A coloquei em frente ao Pergaminho Sagrado no qual estava pintada uma imagem de Kannon. Daquele mês em diante meus problemas financeiros terminaram e o dinheiro começou a entrar em grande quantidade. Percebi então que Daikoku era realmente o verdadeiro Deus da Prosperidade e, pedindo as pessoas, juntei tantas imagens quanto possível. Logo eu tinha mais de cinquenta. Um dia, logo após Kannon Kai ( Igreja de Kannon) ter sido sido estabelecida, um de meus seguidores me informou que havia uma esplendida imagem de Daikoku, tamanho natural, numa loja em Takagi-sho, Azabu. Corri para vê-la e era realmente um trabalho excelente de um bom período. Quando perguntei se A venderiam, educadamente recusaram, dizendo que eles A tinham la como objeto sagrado. Não conseguindo meu intento, fui embora. Isso foi no meio de dezembro. Entretanto, felizmente, na noite de Ano Novo o proprietário da loja me ligou para dizer que me cederia a estatua e, se eu quisesse, a entregaria imediatamente. Fiquei felicíssimo. Ela foi entregue de carro naquela noite e imediatamente A coloquei em frente de Kannon. As palavras do dono da loja são interessantes de se notar. Disse: ”Uns poucos dias depois que o Sr.viu a estátua, tive um sonho. Sonhei que Daikoku tinha se ido da residência Dele flutuando em nuvens de gloria. Quando acordei compreendi que minha ligação com Ele havia se rompido, mas não conseguia aceitar o fato. Como tinha de resolver isto antes do fim do ano e hoje já e o ultimo dia decidi permitir que o Sr ficasse com a imagem”. Quando perguntei quanto queria pela estátua, disse que devido a circunstancias preferia não definir o preço. Qualquer importância estaria bem. Naqueles dias os preços eram muito baixos e paguei a ele trezentos yens. Quando saia, parecia ter dificuldade em conter a dor e se abraçando fortemente a Daikoku derramou muitas lágrimas. Depois disso, minha renda subitamente cresceu e só posso achar que isto foi inteiramente devido a Daikoku. Coloquei o nome de Miroku Daikokuten na estatua. Qualquer um que me visitou quando vivia em Kojimachi ou Tamagawa certamente lembrará (de mim) orando a Ele.

XXX

Locutor: Na Igreja Miroku estava cultuado o Buda Daikoku.

Meishu Sama: Não apenas na Igreja Miroku, mas qualquer pessoa tem o Buda Daikoku.

Locutor: Qual o motivo?

Meishu Sama: Bem, foi o seguinte: antigamente, todo mês estava no vermelho. Então ganhei o Buda Daikoku de uma pessoa e coloquei em frente ao Deus Kannon. A partir desse mês acabou-se o vermelho. E achando isso interessante passei a adquirir aos poucos, e houve uma vez que consegui reunir mais ou menos 50. (risos). De qualquer forma, cultuando o Buda Daikoku entra dinheiro.

Locutor: Como era o primeiro Buda Daikoku?

Meishu Sama: Era normal. Atrás estava gravado o ano.

Locutor: É por esse motivo que é cultuado?

Meishu Sama: Sim, é.

Locutor: Isso também é realmente verdade? (risos)

Meishu Sama: Sim, é verdade (risos)

Locutor: Para que serve aquele que o membro traz?

Meishu Sama: É para que abra os olhos.

Locutor: Quer dizer que os membros também seguem essa sorte?

Meishu Sama: Sim.

Locutor: Sendo assim, eu também quero um Buda Daikoku... (risos).

17 de julho de 1949

Rokan, religião 1

XXXX

Meishu-Sama, gostava muito dessa divindade, e ao longo da vida, foi adquirindo várias estátuas, e sobre ela ele nos diz : " "O ano era 1933. Eu estava com dívidas já havia algum tempo e me sentia um pouco desanimado. Um funcionário de banco que às vezes me visitava tinha uma antiga imagem de Daikoku a qual me ofereceu de presente. Eu A aceitei com gratidão e A coloquei em frente ao Pergaminho Sagrado no qual estava pintada uma imagem de Kannon. Daquele mês em diante meus problemas financeiros terminaram e o dinheiro começou a entrar em grande quantidade. Um dia, logo após Kannon Kai ( Igreja de Kannon) ter sido sido estabelecida, um de meus seguidores me informou que havia uma esplendida imagem de Daikoku, tamanho natural, numa loja em Takagi-sho, Azabu. Corri para vê-la e era realmente um trabalho excelente de um bom período. Quando perguntei se A venderiam, educadamente recusaram, dizendo que eles A tinham la como objeto sagrado. Não conseguindo meu intento, fui embora. Isso foi no meio de dezembro. Entretanto, felizmente, na noite de Ano Novo o proprietário da loja me ligou para dizer que me cederia a estátua e, se eu quisesse, a entregaria imediatamente. Fiquei felicíssimo. Ela foi entregue de carro naquela noite e imediatamente A coloquei em frente de Kannon. As palavras do dono da loja são interessantes de se notar. Disse: ”Uns poucos dias depois que o Sr.viu a estátua, tive um sonho. Sonhei que Daikoku tinha se ido da residência Dele flutuando em nuvens de gloria. Quando acordei compreendi que minha ligação com Ele havia se rompido, mas não conseguia aceitar o fato. Como tinha de resolver isto antes do fim do ano e hoje já e o ultimo dia decidi permitir que o Sr ficasse com a imagem”. Quando perguntei quanto queria pela estátua, disse que devido a circunstancias preferia não definir o preço. Qualquer importância estaria bem. Naqueles dias os preços eram muito baixos e paguei a ele trezentos yens. Quando saia, parecia ter dificuldade em conter a dor e se abraçando fortemente a Daikoku derramou muitas lágrimas. Coloquei o nome de Miroku Daikokuten nesta estátua.

Fonte e imagens :Daikokuten Deity and Ebisu Deity -1930- Autor- Suien / Meishu-Sama e Miroku-Daikokuten - Comunidade Hikari no ie/ Japão em Foco -Sichi-Fukujin/Vontade &Pensamento


XXX

Palestra Reverendo Sakakibara[editar]

 É verdade que também no Solo Sagrado de Atami é cultuado a divindade Daikoku-Sama e a partir de quando ela passou a ser cultuada, quem faz os cultos, quais são os objetivos e o que existe na orientação de Meishu-Sama sobre Daikoku-Sama ?

Daikoku-Sama é chamado DAIKOKUTEN, é uma divindade da Índia.

Segundo se sabe, quando Kannon foi para a Índia, Daikokuten veio até Kannon dizendo: Gostaria de servi-la, Deusa Kannon !”

Diz-se que Daikokuten, nesta época, tinha fisionomia muito feia, brava irrascível. Na época era a divindade que presidia o exército. E então, Kannon disse para Daikokuten:

“Olha, eu gostaria de utilizá-lo, mas com essa cara feia que você tem não vai dar. É melhor que você fique mais sorridente!

E movido por essa vontade de ser utilizado por Kannon, Daikokuten passou a ter aquela fisionomia sorridente. E com isso Daikokuten teve a missão de atuar sobre ouro, prata e tesouros, e passou a ter uma força equivalente à de um ministro da economia.

Essa, então, é a origem que Meishu-Sama conta sobre Daikokuten. Daikokuten passou a ser aquela figura atual, sorridente e bondosa. Na noite da véspera da inauguração da Igreja ( 1º de janeiro de 1935 ) veio para Meishu-Sama uma figura de Daikokuten, de um antiquário. Esse antiquário também tinha o desejo de que essa estátua de Daikoku fosse pertencer à Meishu-Sama e de fato aconteceu. Então, esse Daikoku que pertenceu à Meishu-Sama é que está guardado em um aposento do atual Templo Messiânico. O fato é que a partir de quando esse Daikoku foi parar nas mãos de Meishu-Sama sua situação financeira passou a melhorar. Então, aprendendo com isso é que vários membros passaram também a ter a estátua de Daikoku e a cultuá-lo.

Na tradição japonesa, esse Daikoku também tem olhos, quando a estátua é feita ele aparece com os olhos já esculpidos, mas não tem a menina dos olhos. E Meishu-Sama pintou a menina dos olhos da estátua de Daikoku, isto é, deu a vida a ela e com isso, os membros que também possuíam a estátua de Daikoku, iam pedir a Meishu-Sama para colocar os olhos na sua estatueta, e com isso, muitos membros passaram a ter a situação financeira melhor.

O Daikoku que atualmente está colocado no Templo Messiânico é chamado de MIROKU DAIKOKUTEN, e todos os dias de manhã é colocado Oniku e um oficiante faz oração invocando o nome Divino MIROKU DAIKOKUTEN mamori tamaê saki haê tamaê e Kan nagara tamati haê mace ...

A cada 2 meses é realizado um culto chamado KINOENE-SAI, dedicado a Daikoku. Nesse culto, então, eu sou o chefe do cerimonial, e quem participa desses cultos são o chefe de departamento de difusão e o chefe das finanças também, entre outros.

Quando se faz o culto a Daikoku financeiramente passa a ser bastante melhor, aumenta também os donativos. Essa é a maneira de como é feito o Culto a Daikoku.

  Quando é que vamos receber a nossa Imagem de Daikokuten para podermos cultuar também ?

É uma questão que temos que pensar para o futuro.  A pergunta tem alguma relação com Daikokuten. Existem pessoas que tem o Altar no Lar mais o Mitamaya e ao lado tenham imagens de São Jorge, Nossa Senhora de Aparecida, etc. Haveria algum problema ? Existe um membro na minha Difusão que, influenciado pela doutrina espírita, ministra Johrei com as duas mãos. Gostaria de saber se Meishu-Sama escreveu algo sobre ministração de Johrei com as duas mãos ? Daikokuten é cultuado na Igreja Messiânica no Japão desde a época de Meishu-Sama, segundo sua explanação. Ele é uma divindade de outra religião. Então é possível que a pessoa que tenha Altar possa adorar santidade de outra religião.

Cultuar outras santidades junto com o Altar, quando a pessoa está nos passos iniciais da fé messiânica, não dá para impedir. Na medida que ela se aprofunda na Igreja, sua crença em outras entidades espirituais se torna mais tênue. É preciso esperar até esse momento. Se pedir repentinamente para não orar para outras santidades pode provocar revoltas. Deve-se encaminhar essas pessoas para aprimoramento e orientá-la paulatinamente e sermos mais tolerantes em relação à outra fé.

Dependendo do membro, não podemos dizer, bruscamente, que não se deve ministrar Johrei com as duas mãos, só que o Sonen acaba se dividindo em duas partes. Deve-se ministrar Johrei levantando uma mão de cada vez. Temos, isto sim, de analisar melhor para que essa possa se modificar. No caso de estarmos cultuando Daikokuten, o fazemos segundo prática realizada por Meishu-Sama e por isso não acarreta nenhum problema.

De fato Meishu-Sama cultuou Daikoku, deu-lhe o nome de Miroku Daikoku e pintou-lhe os olhos, fato que significa dar a vida, colocar o espírito. Este Daikoku que é cultuado no Solo Sagrado, é só este que passou a ser Miroku Daikoku; não é qualquer Daikoku. Então, os seus sucessores continuam a cultuá-lo. Alguns membros do Japão cultuam Daikoku, mas não os Daikoku que Meishu-Sama deu vida.

Fotos de Daikoku e Liderança do Movimento Messiânico[editar]