Kunitokotachi no Mikoto

De Ooshin
Ir para: navegação, pesquisa
Kunitokotachi no Mikoto.

Kunitokotachi no Mikoto, também denominado Ushitora no Konjin Kunitokotati no Mikoto ou Tokotatchi no Mikoto, é uma divindade japonesa reconhecida por ser extremamente justa e correta.

Governava o mundo no fim da Era do Dia anterior (fato ocorrido há 3.000 anos). Era tão rigoroso e justo, que as outras divindades não o suportavam. Resolveram, por isso, afastá-lo do comando do mundo, para assim poderem viver como elas gostariam. Chefiadas por ''Amawakahiko-no-Kami'', revoltaram-se e o prenderam. Seu espírito ficou confinado na direção do nordeste, onde foi morto. Só teria direito de retornar ao mundo físico quando brotasse a soja torrada. Como é um fenômeno impossível de acontecer, fica claro que a intenção de Amawakahiko era impedir para sempre a volta de Kunitokotachi.

Na comemoração do dia do setsubun, realizada no Japão em 3 de fevereiro, vários templos xintoístas e budistas jogam soja torrada, clamando que a fortuna fique dentro e o demônio fora. Segundo a tradição xintoísta e budista, o objetivo desse ritual é evitar os infortúnios provocados pelos espíritos malignos. Entretanto, de acordo com Meishu Sama, tal pensamento está incorreto. A entidade considerada demônio é uma grandiosa e importantíssima divindade chamada Ushitora no Konjin Kunitokotachi no Mikoto.

De acordo com Meishu Sama, após a morte de Kunitokotachi no Mikoto, este tornou-se Enma Daiō, o grande juiz dos mortos no mundo espiritual; depois de 500 anos, na época do budismo, Enma Daiō voltou ao mundo material como Kannon; manifestou-se ainda, em 1892, através de Nao Deguchi (fundadora da religião Ōmoto).

Kunitokotachi sob a perspectiva de Meishu Sama[editar]

Segundo consta nos Ensinamentos de Meishu Sama, Kunitokotachi é um deus da linha do fogo, que possui um poder tão extraordinário a ponto de nenhum espírito maligno conseguir vencê-lo. É a personificação de Ōkunitokotachi, o Deus Criador do Universo. Nasceu como ser humano, recebendo o nome de Kunitokotachi no Mikoto. Consta ainda que atualmente Kunitokotachi está se dedicando à salvação no plano material. No decorrer da vida de Meishu Sama, lhe dispensou particular proteção, bem como o orientava sempre que necessitava de algum esclarecimento.

Meishu Sama explica que da direção nordeste é emanada a luz de Kunitokotachi no Mikoto e, portanto, ao contrário da crença popular japonesa, as pessoas ao se mudarem em direção ao nordeste deparam-se com lugares com vibração mais pura e elevada; além disso, ao se dormir com a cabeça voltada para essa direção, recebe-se ideias brilhantes em decorrência da luz e energia que de lá são emanadas.

Um membro, em uma visão espiritual, descreveu o seguinte à Meishu Sama a respeito de Kunitokotachi: "Olhei, era uma pessoa muito grande, de cabelos pretos caídos, com uma tira que parecia ser tecido branco amarrada na cabeça. Olhando bem, o seu vestuário parecia ser feito de folhas de árvores trançadas e soltava brilhos coloridos de uma beleza ofuscante. O seu corpo era enorme e sentado, a sua cabeça chegava à altura da porta."

Referências nos Ensinamentos de Meishu Sama[editar]

Os trechos abaixo são apenas algumas referências sobre o tema que encontramos nos Ensinamentos de Meishu Sama. Para encontrar uma lista mais ampla de Ensinamentos sobre o tema, procure na página da categoria.


"Na Sua essência, Ele é a personificação de Ookunitokotachi, o Deus Criador do Universo. Nasceu como ser humano, recebendo o nome de Kunitokotachi no Mikoto."


"No dia do Setsubum, comemorado em 03 de fevereiro, vários templos xintoístas e budistas jogam feijão torrado, dizendo que a fortuna fique dentro e o demônio fora. Essa cerimônia tem como objetivo evitar os infortúnios provocados pelos espíritos malignos. Entretanto, conforme já expliquei em outras ocasiões, tal pensamento está incorreto. A entidade considerada demônio é, de fato, uma grandiosa e importantíssima divindade chamada Ushitora no Konjin Kunitokotachi no Mikoto, a mesma citada no salmo de hoje (03/02/1952) só que de forma abreviada (Tokotachi no Kami). Existe ainda outra denominação: Ushitora no Kami. Todas elas se referem, contudo, ao mesmo Deus Justo — Kunitokotachi no Mikoto."


"Ministro — O Senhor já nos orientou a respeito da essência de Kannon e Kunitokotachi. Gostaria, entretanto, de uma explicação mais profunda sobre essa relação.

Meishu Sama — Kunitokotachi é extremamente justo e reto. Não permite, por isso, erro algum. Há muitos anos, nasceu como ser humano. Após a morte, tornou-Se Enma Daio, passando a ser, no Mundo Espiritual, o juiz dos mortos. Muito rigoroso, mas visando à salvação de todos os espíritos, eliminava-lhes as impurezas, tirando-os, dessa forma, do Inferno.

Depois de algum tempo, nasceu no mundo físico como Kannon. A partir daí, passou a realizar o trabalho de salvação com infinita misericórdia. Sem nunca fazer distinção entre Bem e Mal, jamais censura os pecados de ninguém. É por essa razão inclusive que os seguidores de Kannon não devem criticar os erros dos outros. Caso o façam, estarão contrariando a vontade de Deus.

Cada ser humano deve, por conseguinte, estar procurando melhorar sempre. Dessa forma, não haverá necessidade de julgamento nem trabalho para Kunitokotachi, que passará a viver como um Ministro da Justiça demitido por falta de atividade. Em outras palavras, poder-se-ia dizer que Sua ação seria semelhante à dos policiais, cujo trabalho tornar-se-ia desnecessário não havendo criminosos.

Da mesma forma, também os tratamentos médicos perderão seu objetivo quando não houver mais doenças. Daí o motivo de eu estar, constantemente, falando que o ideal verdadeiro consiste em lutar pela erradicação das causas das enfermidades, em vez de promover o progresso da medicina.

Atualmente, porém, tudo está invertido. Materialista, a ciência médica convencional caminha na direção errada; não cumpre a sua missão celestial. Deveria, pois, pedir demissão. Fica, porém, difícil perceber o erro; mesmo que os profissionais da área o reconheçam, não vão conseguir afastar-se, devido aos problemas de sobrevivência."


"No fim da Era do Dia anterior (fato ocorrido há três mil anos), chamada tempo divino, quem governava o mundo era a divindade Kunitokotachi no Mikoto. Muito rigoroso e justo, não permitia nada errado, de tal modo que as demais entidades não O suportavam. Resolveram, por isso, afastá-Lo do comando do mundo, para assim poderem viver como elas gostariam. Chefiadas por Amawakahiko no Kami, revoltaram-se e O prenderam. Seu espírito ficou confinado na direção do Nordeste, onde foi morto, após ser torturado. Só teria direito de retornar ao mundo físico quando brotasse o feijão torrado. Como é um fenômeno impossível de acontecer, fica claro que a intenção de Amawakahiko era impedir para sempre a volta de Kunitokotachi.

Após a rebelião, passou-se a falar do Céu de Jaku (Ama no Jaku), nome popular de Amawakahiko no Kami, uma personalidade bastante arrogante, revoltada contra tudo que havia sido determinado por Kunitokotachi no Mikoto. Ao mesmo tempo, o povo passou a fugir da direção do Nordeste, por considerá-la o Kimon (portal do demônio).

Interessante notar também que os japoneses evitam mudar-se para o Nordeste, julgando encontrar má sorte nessa região. O que, na verdade, acontece é haver pessoas com muitas máculas, as quais, ao irem morar num lugar com vibração mais pura e elevada, sofrem purificações. Por não serem capazes de entender a ação de limpeza a que foram submetidas, julgam ter encontrado má sorte. Pela mesma razão, os japoneses evitam colocar a cabeceira da cama no lado do Nordeste. Eu, ao contrário, sempre durmo com a cabeça voltada para essa direção, pois daí vêm idéias brilhantes emanadas da Luz de Kunitokotachi no Mikoto.

Portanto, para pessoas de bom coração, com objetivos nobres, nada acontece de errado caso mudem para o Nordeste."


"Após analisar conscientemente a importância da sábia ação de Kunitokotachi, orientando o comportamento e a vida na Terra, pode-se afirmar: quem realmente não estava agindo de acordo com a lógica divina era o ser humano. Tinha caído na armadilha de um deus especialista em ludibriar e inverter a verdade e a ordem natural dos fatos."


"No período em que ficou impossibilitado de agir materialmente durante, mais ou menos, três mil anos, Kunitokotachi no Mikoto permaneceu no Plano Espiritual como Enma Daio (grande juiz do Mundo Espiritual) julgando o Bem e o Mal, eliminando as impurezas e os pecados dos que já haviam morrido, com o objetivo de promover a salvação de todos. Por ser extremamente justo e correto, sempre causou pavor a quem Dele se aproximava. Tanto que, conforme me dizem os espíritos em manifestações, se alguém mau olha para Ele sempre o vê com o semblante carregado, demonstrando braveza. Ao contrário, para os bondosos, aparece sereno e complacente. Fato bastante significativo!

Depois de quinhentos anos, Enma Daio voltou ao Mundo Material como Kannon, na época do Budismo. Veio para atenuar, através da misericórdia, o sofrimento da humanidade durante a Era da Noite."


"No Ofudesaki, livro psicografado da Oomoto, está escrito que Kunitokotachi no Mikoto vai aparecer no Mundo Material para julgar os vivos. Em outros textos, consta que até este momento protegeu a humanidade, permanecendo oculto, mas agora vai surgir diante dela, iniciando assim o julgamento no Mundo Físico.

A partir de 1892, Kunitokotachi no Mikoto afastou-Se do Reino Espiritual e já se encontra a um passo do Plano Material. Assim aconteceu nas três dimensões. Pouco a pouco, foi-se aproximando de cada uma delas até, enfim, estar prestes a manifestar-se diretamente na Terra para julgar os vivos. Hoje, 04 de fevereiro de 1954, é, portanto, o dia do início do julgamento final. Terrível para quem tem máculas e pensamentos negativos; bom, maravilhoso, para as pessoas de coração verdadeiramente nobre e correto; excelente para aqueles que estão sendo perseguidos pelo Mal. No Ofudesakí, Kunitokotachi no Mikoto diz, com muita clareza, que vai, desta vez, separar os bons e os maus. Eu também sempre estou falando sobre esses acontecimentos.

Recentemente têm sido noticiados muitos casos de corrupção. Tais fatos estão mostrando, com nitidez, a aproximação do Juízo Final, bem como a manifestação da linha do fogo de Ushitora no Konjin Kunitokotachi no Mikoto. Como irradia uma Luz intensa e forte, ilumina o mundo inteiro e, por isso, todas as ações humanas até então praticadas às escondidas vêm à tona, começam a ser vistas com clareza. Também, pela mesma razão, a partir deste ano (1954), estarão mais aceleradas as doenças; o mal causado pelas toxinas dos remédios fica cada vez mais evidente."


"Após Seu espírito ter ficado três mil anos impedido de agir no Plano Material (tempo esse chamado de mundo das trevas), Ushitora no Konjin Kunitokotachi no Mikoto manifestou-Se, em 1892, através de Não Deguchi, fundadora da Oomoto, gritando em altos brados que a flor de umê, de repente, se abria nas três dimensões do Universo, pois havia chegado o mundo de Ushitora no Konjin Kunitokotachi no Mikoto, o Deus justo do Nordeste. Aos gritos, continuava anunciando estar surgindo um Mundo Divino, exatamente no momento em que brotava a flor de umê, e seria governado pelo pinheiro, simbolizando ambos (umê e pinheiro) o estabelecimento de uma vida estável, sem perturbações, após anos intermináveis de confusões e incertezas. Depois dessas primeiras revelações, Nao Deguchi foi levada pela polícia como louca, tendo ficado presa durante vinte ou trinta dias. Mesmo assim, teve início, dessa forma, a religião Oomoto."


"Há pouco mais de dez anos, Kunitokotachi no Mikoto entregou o governo do Mundo Espiritual a Ookuninushi no Mikoto e agora se está dedicando à salvação neste plano, o material. Especialmente a mim sempre dispensa particular proteção. Toda vez que necessito de algum esclarecimento, Ele me orienta com palavras bem singelas. Kunitokotachi no Mikoto possui um poder tão extraordinário a ponto de nenhum jashin conseguir vencê-Lo. Ele é, de fato, o Deus do Juízo Final. Dele também se origina o poder de Kannon."


"A Messiânica vai ser a instituição responsável pelo aparecimento, no Mundo Material, de Kunitokotachi no Mikoto.

Durante os três mil anos da Era da Noite, Ushitora — O Deus Altíssimo — permaneceu num plano inferior. Aproveitando-se da situação, as divindades secundárias colocaram-se num lugar de destaque, passando de galho a tronco. Nessa posição, transformaram o mundo num estado infernal. Foi lamentável! Finalmente, porém, Kunitokotachi no Mikoto vai manifestar, através da Messiânica, o Seu insondável poder."


"Como já disse, a partir de agora, Ushitora no Konjin Kunitokotachi no Mikoto vai usar a Messiânica como meio para manifestar-Se no Mundo Físico. Entretanto, conforme está escrito no Ofudesaki, “debaixo do farol, há trevas". Tal referência indica, na verdade, que a Luz projetar-se-á antes nos países mais longínquos5, ou seja, estes é que vão compreender e aceitar em primeiro lugar o poder de Ushitora.

Conforme as evidências, estamos a um passo do terror. Mesmo assim, a Messiânica vai expandir-se, pois a força bloqueadora da Luz está enfraquecendo dia a dia. Dessa forma, pessoas que nada entendiam dos Ensinamentos, embora fossem explicados dez, vinte vezes, poderão compreendê-los facilmente após cinco ou seis explanações. Nada, porém, deve causar espanto, porque as verdades relacionadas a Deus não aparecem de repente aos nossos olhos; avançam lentamente. A cada ano, vão ficando mais claras e surgindo com maior rapidez.

Em síntese, a começar deste ano (1954), a Messiânica vai ser difundida mundialmente. Até aqui, esteve se preparando no camarim para, agora, poder entrar no palco e começar a projetar-se no mundo como importante peça de teatro que vai enfocar os Três Reinos. Conforme já foi expresso no Ofudesaki, tudo realmente muito verdadeiro. No primeiro ato, havia papel para os bons e também para os vilões, estes representados pelas pessoas más infiltradas que sempre atrapalharam as atividades de expansão da Igreja, levando muitos membros a julgá-las apenas como malfeitoras e prejudiciais à Obra Divina. Na verdade, porém, desempenharam brilhantemente o seu papel. Se não fossem ruins, jamais poderiam realizar tão bem as maldades a que se propuseram. Gostaria, por isso, de agradecer sinceramente a todas elas.

De agora em diante, entretanto, todos os anos, a partir de 15 de junho, a luz do dia, ou seja, kasso (espírito do fogo) vai aumentar cada vez mais. De outra parte, em todo 04 de fevereiro, data na qual se comemora Ritsun (começo da primavera), ocorrerá uma transformação no palco do teatro divino, como se estivesse passando de um ato para outro. Significa, na verdade, que haverá grandes mudanças em conseqüência do desenrolar de novos acontecimentos que vão contribuir para a concretização do Reino do Céu na Terra."


"Ministro — Gostaria de que o Senhor me explicasse a relação entre Kunitokotachi, Kannon e Meishu Sama.

Meishu Sama — Na verdade, não existe. Os três são iguais. Dependendo do cenário, muda apenas o papel do executor, de um modo semelhante ao que acontece com os atores. Conforme a circunstância, podem representar o vilão, o bom, o homem, a mulher, ou qualquer outra personagem. É uma situação parecida com a que vivo hoje: sou criticado por médicos e farmacêuticos por não aceitar suas teorias e procedimentos no que diz respeito à cura das doenças. Então, do ponto de vista deles, sou um vilão e estou praticando um grande mal."

Todos os trechos acima constam da publicação "Evangelho do Céu - Volume III - Reino Divino", editada e publicada pela vertente Templo Luz do Oriente.